top of page
  • Ivye Muniz

O que a Copa do Mundo pode nos ensinar sobre Marketing?


A Copa do Mundo da FIFA é o evento mais prestigiado do mundo e foi criada em maio de 1928, tendo o Uruguai como sede no ano de 1930.


Desde lá, o campeonato enfrentou dificuldades como a Segunda Guerra Mundial, no entanto, toma proporções maiores a cada ano que passa e com isso, o investimento em ações de marketing se torna mais evidente.


A edição de 2018, realizada na Rússia, registrou audiência de mais de 3,5 bilhões de pessoas, segundo dados da própria FIFA. A Copa do Mundo é, portanto, uma oportunidade das marcas engajarem um público amplo.


Para poder se associar oficialmente a competição, o patrocinador precisa desembolsar uma quantidade grande de dinheiro. As marcas que possuem cota comprada de patrocínio podem fazer uso do emblema da copa, mascote, slogan e pôster, por exemplo, todos elementos de propriedade intelectual da FIFA, sendo restritas a ela e a seus patrocinadores registrados.

Contudo diversas marcas aproveitam esse momento, mesmo não sendo um patrocinador oficial. Como foi o caso da Brahma que uniu o Zeca Pacodinho ao universo dos memes, criando o Waka Brahma uma fusão de identidade cultural brasileira. A Ambev também entrou nessa, reproduzindo a foto de Messi e Cristiano Ronaldo na campanha da Louis Vuitton com dois sósias de Pelé e Ronaldinho Gaúcho, viralizando na internet. E no lugar de uma mala vemos a clássica mesa de bar tão conhecida por todos nós e praticamente um patrimônio cultural do Brasil.


Falando em Louis Vuitton, a ação de marketing da grife merece destaque, porque a foto compartilhada por Cristiano Ronaldo e Messi, onde os dois disputam uma partida de xadrez chegou a nada mais nada menos do que ao primeiro lugar como a foto mais curtida da história do Instagram. Além de ter sido uma foto visualmente fantástica da americana Annie Leibovitz, foi uma ação de marketing brilhante.


Emoções vendem, nesse sentido, a marca embalou em uma das perguntas mais feitas no mundo do futebol: Messi ou Cristiano Ronaldo, quem é o maior? Os dois craques, tidos como rivais, posaram lado a lado para o público. Além disso, contou uma história, uma vez que a campanha faz referência a uma disputa de xadrez travada pelos campeão mundial Magnus Carlsen, mestre do xadrez e o americano Hikaru Nakamura. No caso de Cristiano Ronaldo e Messi, quem vai levar a taça para casa que está na mala em baixo do tabuleiro de xadrez?


Nessa partida, os dois saem vitoriosos, porque a mesa está posicionada da mesma forma que na partida original, onde não há vitória nem para Cristiano ou Lionel e sim um empate técnico. Ou seja, a mensagem que fica é: os dois são craques, mas sobretudo os dois usam Louis Vuitton.


Apesar disso, nem tudo são glórias. A Copa do Mundo de 2022 tem dado o que falar negativamente desde a escolha do Catar como país sede. O país é extremamente conservador, um local onde as mulheres, imigrantes e a população LGBTQIA+ sofrem diariamente com o preconceito.


Vários atletas e seleções se posicionaram contra a realização da copa no Catar, fazendo suas manifestações. E algumas marcas como a Budweiser foram prejudicadas em milhões de reais com decisões de última hora do país, como a proibição de venda de bebidas alcóolicas.


Fazer um evento é difícil, realizar um campeonato de proporções gigantescas e escala mundial, com certeza é um desafio maior ainda. A infraestrutura é complicada de lidar, envolve muito dinheiro e principalmente relações diplomáticas entre países. Entretanto, é fundamental que a FIFA se atualize e repense a maneira como é conduzida a Copa do Mundo, especialmente no contexto atual, lembrando que a preservação dos direitos humanos ainda está em seu estatuto. O preconceito, a discriminação e sobretudo a homofobia é uma realidade mundial e seu combate já é respaldado por lei em diversos países, como o Brasil.


Nenhum encontro é uma ilha, especialmente em uma Copa do Mundo, mas sim um mar vasto de possibilidades, onde a diversidade e a interculturalidade são as palavras de ordem. E isso é algo que deve continuar sendo muito bem-vindo e respeitado.


Depois desse artigo, o que acha sobre as estratégias usadas pelas marcas na Copa do Mundo? Comenta pra gente!


Comments


bottom of page