top of page
  • Ivye Muniz

Ganhando mais na web: Infoprodutos

Fala-se muito de marketing digital por aqui. É engajamento, visualização, produção de conteúdo e muito mais sobre trabalhar com a internet. Mas como funciona a monetização disso?


Apresento-lhes os Infoprodutos: e-books, apostilas, cursos online, videoaulas, screencasts, aplicativos, videoaulas, audiobooks, kits, dentre outros benefícios de programas para membros.


As vendas dos chamados infoprodutos só cresceram diante a pandemia, que já dura no Brasil a cerca de 9 meses. De um dia para o outro surgiram diversos aplicativos de venda online e muitos empresários se lançando na oportunidade do negócio digital.



"Mas é preciso ter empresa/CNPJ para essa atividade?"


A contadora Gisele Machioski, responde, “Não é obrigatório abrir uma empresa para vender os infoprodutos, mas é preciso analisar, pois pode ter menos custos, e em algumas plataformas, como a Hotmart por exemplo, as pessoas físicas podem sacar da sua conta o valor máximo de R$ 1900,00 enquanto quem é pessoa jurídica pode sacar mais do que esse valor, desde que haja dinheiro suficiente na conta”.


"Como tributar o rendimento?"


Para pessoa física, todo valor recebido será tributado conforme tabela do Imposto de Renda, não podendo deduzir custos algum. Se a receita com infoprodutos for até 28 mil no ano, terá isenção. “Nesse caso vale a pena continuar como pessoa física”, apresenta a contadora.


Já pessoa jurídica, em geral, é recomendado para quem deseja formalizar o negócio de infoprodutos que se enquadre inicialmente na modalidade MEI – microempreendedor individual. Este é o modo mais simples e barato de abrir uma empresa, desde que o faturamento por ano seja de até R$ 81 mil e a mesma não contrate mais do que um empregado de carteira assinada e nem seja sócio de outra empresa.

O MEI de fato possui muitos benefícios, vale a pena tirar suas dúvidas e pesquisar sobre ele.




Não é incrível você poder “empacotar” seu conteúdo digital em diversos formatos, criando vários tipos de produtos digitais!? Isso para mim é o retrato de uma revolução mercadológica!


Um fato interessante é que todos os formatos citados te permitem trabalhar com assuntos que sejam do seu interesse. Você tem algum conhecimento que possa compartilhar com outras pessoas? Costumam vir até você para pedir conselhos sobre algum assunto?


Se você tem algo para ensinar que possa resolver problemas ou facilitar a vida de outras pessoas, por que não transformar este conhecimento em um produto digital?


Quero saber, me conte: Qual tipo de produto digital você acha mais interessante para se trabalhar?

8 views0 comments

Comments


bottom of page